Projetos de luta contra a MGF foram premiados pela CIG

No dia 5 de fevereiro de 2017, em Sintra, a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG) fez a entrega do Prémio Contra a Mutilação Genital Feminina – Mudar aGora o Futuro. O 1.º prémio foi para a Associação dos Filhos e Amigos de Farim, pelo “Fator M- Ativismo pelo fim da MGF”, um projeto que pretende capacitar 12 raparigas e mulheres maioritariamente oriundas ou com ascendência da Guiné-Bissau, residentes no concelho de Sintra, para, na qualidade de ativistas pelo fim da Mutilação Genital Feminina (MGF), serem agentes de mudança.

O 2.º prémio foi atribuído à Associação Mulheres Sem Fronteiras, pelo projeto “Pelo Fim da Excisão. Faço (p)arte”, cuja missão é envolver a sociedade civil, a academia e o universo artístico, na criação de um movimento global que possa contribuir para a eliminação da MGF.

Já o 3.º prémio foi entregue ao Movimento Musqueba, pelo projeto “Em Rede contra a Mutilação Genital Feminina II”, que visa dinamizar uma plataforma de promoção e valorização da mulher guineense pela via da educação e formação pelo fim da MGF, no município de Odivelas.

Esta iniciativa contou com a presença do Ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, do Presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, da Presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares, bem como da Presidente da CIG, Teresa Fragoso.

Representantes das associações vencedoras desta edição do Prémio Contra a Mutilação Genital Feminina – Mudar aGora o Futuro

Representantes das associações vencedoras desta edição do Prémio Contra a Mutilação Genital Feminina – Mudar aGora o Futuro